Mercado de trabalho português não consegue empregar jovens recentemente licenciados

Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
pexels-nicola-barts-7925871

Segundo o Instituto Universitário de Lisboa chegou a esta conclusão, que o mercado português não consegue empregar jovens licenciados. E que foi apresentada no decorrer do lançamento do observatório do emprego jovem. Os motivos apresentados foram que os jovens recentemente licenciados têm mais qualificações do que os empregos ou vagas pretendidas que têm. 

Portugal é um dos países da União Europeia nos quais os jovens mais emigram para poderem encontrar melhores empregos. Também melhores condições de trabalho em termos de contratos mais estáveis e salários. 

Segundo as estatísticas mostram que em situação de dificuldades econômicas o emprego jovem é afetado. E o emprego jovem está mais vulnerável do que os restantes dos países da OCDE. 

Os jovens portugueses são os que têm os salários mais baixos como condições de instabilidade. Segundo o coordenador Paulo Marques do observatório do emprego jovem. 

Muitos jovens numa tentativa de poder trazer alguma renda extra utilizam sites de apostas desportivas como o exemplo Bet20. 

Por estas razões mencionadas os jovens emigram para outros países pertencentes à União Europeia em ordem de terem melhores empregos. Ainda com programas Governamentais de incentivos para emigrantes portugueses retornarem ao país, não o suficiente para muitos retornarem. 

Segundo os as estatísticas em 2015, o número de emigrantes correspondeu a mais de 20% em relação à população total em Portugal. O que representa um número superior a 2 milhões de portugueses que emigram. Atualmente poderá haver outra emigração entre os jovens em massa. Porém dada as circunstâncias de pandemia alguns jovens querem ter algumas garantias ou condições para migrarem segundo sondagens as sondagens. 

Os países também mais escolhidos na Europa para emigração entre os jovens portugueses em ordem são. Primeiro temos o Reino Unido, Espanha e Suíça. O último relatório de emigração anotou um número de 80.000 jovens portugueses, nos quais 25 mil desse número emigraram para Inglaterra e o resto para os países mencionados. 

Espera-se que os incentivos dados pelo Governo possam trazer uma estabilização para esses números de emigração jovem. Tudo irá depender de quais incentivos mais poderão ser implementados e ajudas financeiras para reter os jovens portugueses e incentivar quem está fora a retornar. Com o país a sair aos poucos da crise do covid-19 sendo um dos países do mundo com mais vacinados, com cerca de 86% da população vacinada. Já se viu uma melhora nos níveis de empregos e uma previsão de aumento salarial para 2022. 

Resta saber se isto tudo será suficiente para atrair os jovens portugueses. Portugal não foi o único país a ser afectado pela pandemia. Também houve um número de portugueses a retornarem ao país durante a pandemia, mas esse número não é significativo ou comparado ainda para os que saem de Portugal em busca de uma vida melhor. 

Espera que 2022 possa atrair mais jovens e mão qualificada com melhores salários e condições. Até lá resta esperar pelo próximo relatório de emigração para saber se estes números estabilizaram ou desceram no que toca à emigração jovem portuguesa. 

Alguma dúvida? Diga-nos abaixo.

Deixe um Comentário